Translate

sábado, 31 de janeiro de 2015

O primeiro mochilão a gente nunca esquece!

                                      Eu e o meu submarino amarelo, em Albert Dock, Liverpool, UK.

Viajar pela primeira vez para várias cidades e países diferentes, em um curto espaço de tempo, com uma mochila nas costas e muita disposição. Antes de tudo, é necessário um planejamento. Eu já sabia disso, já tinha viajado bastante pelo Brasil sozinha, explorado lugares de natureza selvagem e viajado até de pau-de-arara pelo nordeste. Mas viajar pelo nosso próprio país é diferente! Agora fazer um mochilão, de verdade, só fazendo um para saber como é. É uma experiência de muito aprendizado, desapego e ousadia.


                                             Eu e German, em Albertt Dock

Na minha primeira vez eu até tive sorte, pois eu fui com namorado, o German, que providenciou a compra das passagens, reservou os hostels e fez toda a parte do planejamento, afinal ele é guia de turismo né. Ele só disse para mim: “leva uma mochila pequena”. Sim, claro, porque era uma viagem de apenas uma semana pelo Reino Unido. E eu fiz uma mochila enormeeee, parecendo que ia passar um mês fora! Não consegui deixar para trás secador de cabelo, cremes, maquiagem e coisitas femininas. Resultado: dor nas costas, cansaço e choro. Minha primeira lição: o nome é mochilão, mas o certo mesmo é carregar uma mochilinha, ainda mais em viagens curtas!


                                                         Centro de Liverpool

                                    Museu de História Natural, em Liverpool

Nosso roteiro (Liverpool, Londres, Birminghan, Wales (País de Gales), Wrexham, e Chester, Inglaterra). Escolhemos juntos os lugares e as cidades mais próximas para ir de trem. Essa é uma boa dica para economizar e otimizar a viagem. Encontramos em Liverpool um amigo do German,o Imanol, que morava em Gales. Em dois dias, conhecemos Liverpool de cabo a rabo. Eu não sabia o que era andar explorando os lugares! O German perguntava: direita ou esquerda? eu escolhia a direção e nós íamos. Nós andavámos o dia inteiro conhecendo museus, ruas, praças, pontos turísticos, procurando lugares legais, o Cavern Club, o pub dos Beatles, um festival de música (rock) que estava rolando, ver o porto do sol nas docas e tudo mais. Liverpool é incrível! Mais outra dica de mochileiro de primeira viagem: vá com o sapato mais confortável que você tem. Um bom tênis é a melhor escolha.


                                       A Guarda Real tocando nas ruas em Londres


                                             Trafalgar Square em frente a National Gallery

 Londres, dois dias de pura exploração! A gente conheceu a cidade toda a pé! Como o German já tinha morado lá por alguns meses, ele sabia onde era tudo. Saíamos às 9 da manhã e voltavámos para o Hostel só a meia-noite, explorando cada lugarzinho. Tivemos boas surpresas na cidade, no dia em que chegamos a Rainha Elizabeth ia fazer um discurso na rua. Então, a cavalaria, a guarda e a banda Real estavam nas ruas e foi um grande evento. Um conto de fadas ao vivo. Londres tem essa magia. Amei a cidade, principalmente a noite, com suas luzes, o Big Ben, o London Eyes, as pontes sobre o Rio Tâmisa. Foi tudo lindo e até romântico, pois o amigo do German tinha voltado para Gales! 


                                      Momento em que a cavalaria Real passa na rua 


                                           Parlamento em Londres

                                                Tower Bridge


                                          As luzes de Londres:  maravilhosa!

 Seguindo viagem, uma dia e meio em Birminghan! Eu cheguei e só queria descansar! Em Londres andei demais! E como viajei com uma botinha que eu achava que era confortável, os meus pés estavam em bolhas! O Hostel era bem localizado e o quarto de casal bem bonitinho. Não resisti aquela cama enorme e dormi! rsrsrs O German foi bater perna sozinho. Já era tarde e ainda tinhamos mais um dia. Almoçamos no hostel no dia seguinte. Usar a cozinha do hostel é outra dica boa para economizar. O German cozinhou como sempre e me serviu. Uma gracinha! Andamos bastante em Birminghan, que é uma cidade grande, cheia de shoppings, lojas e empresas. É bem cosmopolita!Ela é considerada a segunda cidade mais importante da Inglaterra, depois de Londres e Manchester. E fomos em todos os museus da cidade, lugares de arte moderna e contemporânea. Amei!


                                                  Birmingham


                                                  Birmingham

                               Museu de arte Moderna e Contemporânea em Birmingham


Nestes dias de andanças por Liverpool e Londres, a gente sempre se alimentava na rua. Na Inglaterra as pessoas almoçam um sanduíche grande, uma baguete com frango, queijo, presunto ou atum. A gente viveu na base do sanduba com cerveja, sentando comos os Ingleses, nos parques e nas praças, para almoçar e lanchar. São hábitos bem diferentes dos nossos que gostamos de comer comida mesmo, todos os dias!



                        Festival de Música em Liverpool e picnic no parque


                                     Parque em Londres, hora do almoço!


Nosssa próxima parada, Wrexham, em Wales (País de Gales), é um outro país dentro do Reino Unido, mas é bem próximo, e fomos de trem. Encontramos o amigo do German de novo. Gente boa, gostei bastante dele, espanhol também.Ele era meu ajudante na função de carregar a mochila!rsrsrs Só não curtia muito quando os dois (ele e o German) começavam a falar em espanhol. Eu não entendia nada! Espanhol é a lingua mais embolada que existe! Inglês é muito mais fácil!


                                     Eu, German e Imanol no Pub Cavern Club, em Liverpool

 Bem, fomos para casa do Imanol nas montanhas, um lugar lindo! Ele morava com um amigo, um chef de cozinha frânces, super gente boa, que já morou no Brasil, trabalhou em restaurantes em São Paulo, e adora comida brasileira. Ficamos conversando sobre o tempero brasileiro um tempão. Bebemos vinho e fizemos carne assada com batatas. Uma delícia! Foi um jantar maravilhoso! No outro dia fomos explorar as montanhas e andar por uma ponte super alta onde tem um canal com barcos (aqueduto), e uma paisagem verde incrível. A cidade é um cartão postal!



                                                 Os barcos que passam no aqueduto

                                 O aqueduto é esta ponte alta e estreita onde passam os barcos


                                                          Wrexham é linda!

 O Aqueduto de Pontcysyllte (em galês: Traphont Ddŵr Pontcysyllte), é uma ponte aquífera localizada em Wrexham, no nordeste de Gales.Foi completada em 1805, e é o mais alto e mais comprido aqueduto da Grã-Bretanha, além de ser um Patrimônio da Humanidade.

Na volta da viagem, passamos por Chester e fomos explorar novamente. Eu carregando minha mochila mega pesada que não aguentava mais. O amigo do German foi com a gente e carregou para mim um bom tempo. Neste último dia andamos o dia inteiro. E poxa estava cansada! Mochilão (mochila grande) nunca mais na vida! Na verdade, nem usei todas as roupas que levei. Foi um exagero de coisas que acabaram sendo inúteis e um peso excessivo para mim. Depois dessa viagem, as próximas foram bem mais fáceis e tudo correu mais ou menos bem. 


                          Chester tem uma arquitetura inglesa bem típica

                         O relógio em cima da ponte chama atenção                               


Viajar é sempre uma aventura! A gente nunca sabe o que virá! Mas que vale a pena, vale demais! Este primeiro mochilão foi um grande aprendizado para mim! E o German foi um grande professor para tudo! Os mochilões que vieram depois foram mamão com mel!   Viajar pelo exterior não é difícil, pelo contrário, é muito fácil! Vou contando as minhas histórias aos poucos por aqui e dando todas as dicas para vocês! Acompanhem!


Nenhum comentário: