Translate

quarta-feira, 31 de março de 2010

Em mim


Ela grudou em mim
e não me larga mais
pelo menos ...
enquanto eu viver.

Essa pequena
me encanta
com suas cores
vermelho e
verde.

sou eu
sou ela
todo dia
Até o fim.

terça-feira, 30 de março de 2010

Sorte de Hoje - Abra seu coração!

: ) Você, que sempre abriu o coração, pode estar muito perto de ganhar um coração aberto!


Nada melhor do que abrir as portas do coração e deixar que ele seja todo acariciado. Não existe coisa mais fascinante do que o mistério do amor, da descoberta, do aconchego e do carinho nas horas incertas. Abra seu coração ! Você corre o risco apenas de receber e dar muito amor!

segunda-feira, 29 de março de 2010

Aquele que passa



Eu vejo o tempo passar pela minha estrada.

Eu vou correndo para vê-lo, mas ele some.

Eu procuro e ele se vai, eu paro e ele sente.

Eu tenho que pegá-lo pra viver ...

Ou ele me pega parada.



Sorte de Hoje - Saiba viver!

: ) Na crise, as pessoas cultivam a sabedoria. Na prosperidade seja frugal; na adversidade, nada tema.

É preciso saber viver! Mas, embora essa sabedoria só possa ser adquirida com o tempo, há que se fazer o tempo acontecer. O tempo de amadurecer é uma decisão que podemos tomar de forma consciente. É melhor viver de acordo com o que cada estação pode nos dar.


sexta-feira, 26 de março de 2010

Águas de março fechando o verão























Quando ouço esta música tenho uma gostosa nostalgia da minha infância. Daqueles tempos tão tranquilos, sem hora pra acabar a brincadeira. De ficar de pés descalços na rua, pulando nas poças de água das chuvas de verão. Nasci em março, sou ariana, gosto de outono, de sol, sombra fresca e de ventos. Tenho saudades das canções de bossa nova que enchiam de felicidade nossos ouvidos nos anos setenta. A bossa tem um poder de instituir a plenitude, de alterar nosso humor e fazer um sorriso calmo fluir em nossos lábios. Amo escutar essa música, faz bem para a alma!




quarta-feira, 24 de março de 2010

Novela “Viver a vida” é imagem de esperança

Educação, auto-estima e televisão. O que isso tem a ver comigo? Eu vou à escola, eu me olho no espelho e vejo a novela das oito todos os dias. A novela da Globo “ Viver a vida”, de Manoel Carlos, é um produto que vende imagens e vozes de esperança. Todos os dias, a Luciana (Aline Moraes), personagem que ficou paraplégica, dá seus passos em direção à vida. É comovente ver seu progresso e sua atitude positiva, apesar dos seus medos e inseguranças. Luciana é um grande exemplo de coragem, de que tudo na vida pode ser superado, de que vale a pena viver a vida. E os depoimentos de pessoas da vida real ao final de cada capítulo comprovam que a ficção, neste caso, é muito sincera e um grande incentivo pra muita gente.

A novela, mais do que entreter com competência, está educando as pessoas para a vida através de seus personagens. O que muita gente não aprende em casa sobre gostar de si mesmo e ter auto-estima, o Manoel Carlos está trabalhando nos textos com muita delicadeza e empatia. A gente sente a dor dos personagens, se emociona com eles, fica feliz e bravo. A história da Luciana é uma história de uma menina rica sim, que é linda, ex-modelo e tal, como em toda novela que dá um lugar privilegiado para a beleza. Mas a verdadeira beleza dessa novela está na excelente interpretação dos personagens Luciana ( Aline Moraes) e Tereza ( Lilia Cabral), que dão bonitas lições de vida aos expectadores todos os dias. São emoções verdadeiras e intensas, de quem perdeu algo muito importante e quer ganhar ou reconquistar uma nova vida. Ninguém, pobre ou rico, passa pela vida sem dissabores. O importante é persistir e ter esperança.

A televisão é um grande veículo de comunicação no Brasil e o horário nobre é praticamente da Globo. O poder que ela tem de influenciar as pessoas e de lançar modas todo mundo conhece e faz muitas críticas. Mas, em “Viver a Vida”, a escolha além das modelos e das modas, que sempre vão existir nesse mundo capitalista, foi a de lançar um olhar para as pessoas que enfrentam perdas físicas e emocionais, e que, muitas vezes, são maltratadas pela sociedade por preconceito, falta de tolerância e sensibilidade. E a novela do Manoel Carlos, neste sentido, tem cumprido um grande papel da TV que também é educar oferecendo produtos de qualidade, com conteúdo social e artístico. A família brasileira agradece.

terça-feira, 23 de março de 2010

Sorte de Hoje - Construa seu castelo !

: ) A maior de todas as torres começa no solo!

Tudo começa assim: tijolo por tijolo,
um por um, e você constrói seu castelo.
Cada dia, cada minuto a mais pra criar,
para inventar e reinventar sua obra.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Flores, mulheres e borboletas


Amo flores. Todas elas. Rosa vermelha, girassol, tulipas, margaridas e gerberas. São as flores que compreendem bem a alma da mulher. Não basta ver. É preciso sentir a beleza e aspirar seu perfume. Tocar com delicadeza, com suavidade. Saber que cada uma tem sua própria luz e é única.  Que são delicadas e resistentes, sobrevivem a brisas e ventos. Só a flor sabe que não há hora certa para ser admirada. Toda hora convém. Só ela conhece o poder da contemplação, do olhar fascinado e perdido de quem ama. Só a flor compreende essa desordem feminina que mistura prazer e dor, vaidade e beleza, amor e paixão. Só a flor reconhece um verdadeiro sorriso de felicidade. E namora com todas as borboletas. Esses insetos lindos e abençoados que voam pela natureza e pela nossa imaginação. Uma borboleta no cabelo. Que linda! Eu amo elas! Todas as flores são desejadas e as borboletas também.

quarta-feira, 17 de março de 2010

terça-feira, 16 de março de 2010

O que realmente importa pra você?

Descobri este livro maravilhoso num domingo destes folheando o jornal Estado de Minas. O título, uma pergunta instigante - "O que realmente importa?"- é, exatamente, o que estou buscando. Na mesma semana fui a uma livraria comprar um livro para uma amiga e não resistii a essa capa tão bonita, cheia de significados. Era o que eu precisava. Devorei o livro em poucos dias.

Saber o que realmente importa na vida é tão crucial quanto saber o caminho de casa, do trabalho e da escola. Significa que estamos tendo consciência e discernimento para enfrentar o nosso caminho, para abraçá-lo, desvendá-lo e sentí-lo. Significa que podemos escolher sempre uma nova direção, mesmo em situações díficeis. Significa abrir portas, abrir janelas, fechar portões, seguir em frente e dar partida.  Saber o que realmente importa é tão fundamental que, simplesmente, não saimos do lugar, se não nos damos conta de que a vida é um movimento sem fim. Não existe "felizes para sempre". Mais há felicidade nos encontros, nas escolhas, naquilo que nos toca, nos impulsiona e nos dá paz.

Este livro é maravilhoso porque nos faz pensar, repensar e visualizar aquilo que realmente importa na vida. Com uma linguagem simples, direta e envolvente "O que realmente importa?" nos ajuda a mergulhar nesse encontro em busca da nossa essência. Ele é um exercício de autoconhecimento profundo que vai orientá-lo a encontrar sua missão, seus valores e sua visão para basear suas decisões, fazer mudanças e vislumbrar o verdadeiro próposito de sua vida. Vale a pena ler!


segunda-feira, 15 de março de 2010

Sorte de hoje - Aspirar à vida!!!

: ) Pobres são aqueles que não tem talentos; fracos os que não tem aspirações.

Ter vocações e cultivar sonhos  fazem com que a vida seja mais interessante e motivadora. Você sai do lugar para buscar sua realização, sua auto-expressão. Descobrir o que nos anima alimenta nosso mundo interior e nos coloca em movimento. Dá tempero e sabor à vida.

quinta-feira, 11 de março de 2010

quarta-feira, 10 de março de 2010

Jogar, pensar, falar

Qual o seu verbo preferido? Quem pensa demais acaba cansando a mente e os sentidos. Depois falta tempo para fazer e colocar em prática tantas ideias. Não estou falando que pensar é ruim. De jeito nenhum, eu penso bastante e adoro refletir. Só que nada em excesso traz bons resultados. Às vezes é melhor ir devagar, como o álcool, calibrando cada dose, pra não escorregar no tomate. O exercício de pensar ainda é um desafio pra mim. Estou tentando meditar, fazer meu silêncio nas horas turbulentas e respirar mais devagar e consciente. Quero pensar e fazer logo, mas tudo tem seu tempo!

Muita gente, maquiavélica ou não, prefere jogar. Jogar é bom e eu gosto, viu. Na minha infância adorava War, Dama, Xadrez e Banco Imobiliário. Mas os jogos da vida adulta são bem mais complicados e esquisitos. Porque você nem sempre sabe que está jogando. Seus adversários começaram e você, simplesmente, foi junto, se arrastando pelo tabuleiro da vida. As regras não são claras e eles não jogam limpo. Apesar da boa aparência e do sorriso amarelo, você tem que confiar no sujeito pra avançar mais uma casa. E assim vamos tentando jogar, competir e ganhar um jogo que muitas vezes não tem sentido.

Eu penso que falar sempre o que se sente é uma boa jogada. Um jogo sem véus, sem armação e que todo mundo ganha no final. Pra que jogar? Não há prêmio melhor na vida do que uma relação autêntica, de admiração e amor verdadeiro. E pensar e falar é ainda um jogo muito legal e perspicaz porque exige inteligência, delicadeza e muita sabedoria. Coisa que só gente grande tem. Jogar pra ganhar sozinho, seja o que for, nessa fase da vida, já era. No jogo do bem vence quem compartilha e comemora cada vitória, seja a sua ou a do outro.


terça-feira, 9 de março de 2010

Nascente






Composição: Flávio Venturini e Murilo Antunes

clareia manhã
o sol vai esconder
a clara estrela
ardente
pérola do céu
refletindo
teus olhos
a luz do dia a contemplar
teu corpo
sedento
louco de prazer
e desejos
ardentes






segunda-feira, 8 de março de 2010

Mulheres doidas, santas e incríveis

                                               



Uma grande escritora brasileira – poetisa, cronista e romancista de mão cheia. Essa é Marta Medeiros, uma mulher que sabe, entende e sente como ninguém o que é ser mulher hoje. Ela é amada pela crítica e por seus leitores. Seus livros fazem um grande sucesso, um deles já virou filme “Divã”, um dos meus preferidos “Doidas e Santas” virou best-seller com mais de 30 mil exemplares vendidos. E suas crônicas semanais nos jornais “O Globo” e “Zero Hora”, de Porto Alegre, nos fazem rir, sorrir diferente e refletir. Iluminam nosso dia.

Marta é uma escritora espelho da mulher contemporânea que fala com propriedade dos nossos dilemas. Seus textos chamam a atenção pela sinceridade e ousadia. Nos identificamos na hora. De leitura fácil, fluída e instantânea, conseguem prender e encantar intensamente. Tocam com profundidade. Sua habilidade de falar sobre os mais diversos assuntos da vida cotidiana, de forma simples e leve, numa linguagem coloquial, inteligente e sensível, é seu maior mérito.

A crônica título “Doidas e Santas” é uma síntese do seu talento:

"Estou no começo do meu desespero/ e só vejo dois caminhos:/ ou viro doida ou santa." São versos de Adélia Prado, retirados do poema "A serenata". Narra a inquietude de uma mulher que imagina que mais cedo ou mais tarde um homem virá arrebatá-la, logo ela que está envelhecendo e está tomada pela indecisão - não sabe como receber um novo amor não dispondo mais de juventude. E encerra: "De que modo vou abrir a janela, se não for doida? Como a fecharei, se não for santa?"

Adélia é uma poeta danada de boa. E perspicaz. Como pode uma mulher buscar uma definição exata para si mesma estando em plena meia-idade, depois de já ter trilhado uma longa estrada onde encontrou alegrias e desilusões, e tendo ainda mais estrada pela frente? Se ela tiver coragem de passar por mais alegrias e desilusões - e a gente sabe como as desilusões devastam - terá que ser meio doida. Se preferir se abster de emoções fortes e apaziguar seu coração, então a santidade é a opção. Eu nem preciso dizer o que penso sobre isso, preciso?

Mas vamos lá. Pra começo de conversa, não acredito que haja uma única mulher no mundo que seja santa. Os marmanjos devem estar de cabelo em pé: como assim, e a minha mãe? Nem ela, caríssimos, nem ela.

Existe mulher cansada, que é outra coisa. Ela deu tanto azar em suas relações, que desanimou. Ela ficou tão sem dinheiro de uns tempos pra cá, que deixou de ter vaidade. Ela perdeu tanto a fé em dias melhores, que passou a se contentar com dias medíocres. Guardou sua loucura em alguma gaveta e nem lembra mais.

Santa mesmo, só Nossa Senhora, mas, cá entre nós, não é uma doideira o modo como ela engravidou? (Não se escandalize, não me mande e-mails, estou brincando.)

Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar "the big one", aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir, às vezes, que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo para o alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma cafetina, sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.

Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três destas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascinante.

Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra”.

domingo, 7 de março de 2010

Sorte de hoje - Invista em você !

: ) Lamentar aquilo que não temos é desperdiçar aquilo que possuímos.


Reclamar e lamentar por isso ou por aquilo que não temos, além de muito chato é uma perda de tempo e de energia. Melhor é aproveitar aquilo que temos de melhor e explorar como o nosso grande tesouro na vida. O que temos sempre é um reflexo do que somos. Seja especial, invista em você!



sexta-feira, 5 de março de 2010

O ritmo do tempo



A passagem do tempo é uma coisa normal na vida, ou pelo menos deveria ser. Mas o relógio incomoda muita gente. Talvez porque envolva mudanças, mexa com nossas memórias, vivências e sentimentos. O tempo é uma coisa muito subjetiva e curiosa. Os dias, meses e anos são sempre diferentes, embora possam parecer iguais dentro de uma rotina. Mas nunca você terá um dia como o outro. Há sempre o acaso, o inesperado na esquina. Perceber como passam segundos e minutos é uma experiência individual, que depende do estado emocional e da forma de encarar a vida de cada um.

As experiências adquiridas com o passar dos anos indicam um provável porquê para isso. Ao que parece, a felicidade tem seu próprio ritmo. Quando as batidas do coração estão mais aceleradas essa sensação nos contamina e o “movimento” que traduz “passagem do tempo” na nossa língua cerebral toma conta da mente e do nosso corpo. Sentimos os ponteirinhos rodar como loucos. Quando estamos mais amuados e tristes por algum motivo, as horas parecem se arrastar. O tempo parece carregar todo o peso e pesar que estamos sentindo. Então, ele anda devagar, a passos de tartaruga. E você fica mais agoniado ainda porque este tempo é um peso em sua vida. E aí, o circulo vicioso se instala. Pra parar, só “requebrando” a rotina. Mudando os pensamentos, sentimentos e ações.

O bom mesmo é movimentar a roda da vida com alegria. O mais curioso é que a vida se acelera. Você começa a viver de forma mais rápida, mas não está perdendo tempo. Uma boa rotina tem um bom ritmo e pode ser samba. Se a dança cotidiana te agrada é porque há vários movimentos positivos nela. Você, na verdade, está vivendo intensamente. Mas quando inovamos porque mudamos ou acrescentamos algo bacana em nossa rotina, a percepção é que o tempo passa mais devagar. Por exemplo, uma viagem de férias para aquele lugar dos seus sonhos. Parece que o tempo custa a passar e você curte cada momento com o deleite mais que devido. A explicação talvez seja o diferente e uma tranqüilidade gostosa que podemos chamar de preguiça – um tempo ocioso bem vivido e, portanto, muito produtivo e revigorador. Mas enquanto isso ... o nosso cérebro está trabalhando. Ele não para. Está processando novas informações e registrando tudo o que foge do comum. Parece que, nesta hora, estamos ganhando um plus, um tempo a mais para viver. O balanço das horas - a percepção da passagem da vida - fica mais calma e lenta. O tempo é de pura degustação, de prolongar a experiência, o sabor e o prazer ao máximo.



quinta-feira, 4 de março de 2010

Flores na janela II


Flores na janela

são sentinelas da paz.

São cores do arco-íris

olhando quem chega e

quem sai.

Flores na janela são meu privilegio,

minha grande vista.

São coisas da vida, 

Presente de Deus!