Translate

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Comida japonesa dá energia e mantém alta voltagem do Rock Reveillon da Küd

Só mesmo a milenar culinária japonesa pra oferecer um cardápio gostoso, saudável e nutritivo, capaz de manter a energia em alta na primeira edição do Rock Reveillon da Küd, a cerveja artesanal mais rock n’ roll de BH. Para o open food da grande noite, a Küd firmou parceria com o Restaurante Uramaki, do chef e sushiman Juliano Campos, que promete aos roqueiros tipos diversos de sushi, sashimi, nigiri, hot filadelfia, california, sunomono com kani, camarão e peixes como salmão e outros, todos fresquinhos e preparados na hora.

A associação da carta de cervejas da Küd ao cardápio japonês foi pensada especialmente para a festa. Leve e energética, a comida japonesa garante alto astral para todo roqueiro-cervejeiro dançar até o amanhecer de 2012. Tudo ao som eletrizante do AC/DC, com a banda cover Seu Madruga, e a genialidade sonora do DJ Koctus, baixista do Pato Fu, apresentando clássicos do rock n’ roll, jazz, Doo wop, rockabilly, e muito mais.

Os amantes de uma boa cerveja, no estilo artesanal, vão brindar a virada com novos sabores e aromas. Dos chopes artesanais da Küd, estarão no open bar o sensacional e premiado sabor Kashmir, além de outras três fantásticas criações: Tangerine, Blackbird e Smoke on the Water. Ainda no open food, petiscos da melhor comida de buteco mineira como torresminho, linguicinha, mandioquinha, caldos de feijão e de mandioca, entre outros.



Apaixonados por cerveja e rock n’ roll, os sócios da Küd começaram a produção “para consumo próprio”, em 2008. Resolveram investir no negócio, incentivados pelo primeiro lugar conquistado com o mágico sabor Kashmir, na categoria 14 A English IPA (Indian Pale Ale), no 1º Concurso Sul-americano de Cervejas Caseiras, realizado em Santa Fé, na Argentina.

Kashmir é uma das músicas mais marcantes da banda Led Zeppelin. A homenagem a canções dos “Leds” foi estendida ao sabor Tangerine da Küd, levemente cítrico em estilo Witbier, uma criação própria dos cinco amantes da cerveja e do rock. Blackbird, estilo Black IPA, reverencia os Beatles. A criação da Küd leva quatro tipos diferentes de malte e quatro estágios de lupulagem, alusão à imagem do quarteto de Liverpool. Para completar, um verdadeiro culto ao Deep Purple: o irresistível sabor Smoke on the Water, em estilo Smoked Ale, que utiliza como ingrediente o malte defumado.

“O rock e a cerveja se completam. Resolvemos então prestar uma homenagem à nossa maneira e fazemos nossas receitas inspiradas em grandes clássicos do rock. Mas a escolha não é aleatória, toda receita tem uma carga de história que serve de pano de fundo para uma degustação cheia de cultura”, ensina o analista de sistemas e mestre cervejeiro da Küd, Alencar Barbosa.

O Rock Reveillon da Küd começa às 22 horas do dia 31 de dezembro de 2011 e só termina depois que o sol raiar em 2012. A Cervejaria Artesanal Küd fica à rua Kenton, 36, Praça Quatro Elementos, Jardim Canadá. Os ingressos estão à venda por R$ 250,00 (masculino) e R$ 230,00 (feminino). Para adquirir, entre em contato com a organização da festa pelos telefones 8880-0077; 9234-1896; e, 9934-3469. Acesse o site da Küd – http://www.kudbier.com.br/

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Reveillon com cerveja e muito rock n’ roll



Festa da Virada da Cervejaria Artesanal Küd oferece sabores que homenageiam grandes bandas roqueiras, sonoridade genial do DJ Koctus e guitarra eletrizante do Seu Madruga

Curtir a chegada de 2012 ao som eletrizante do AC/DC, com a banda cover Seu Madruga, e a genialidade sonora do DJ Koctus, baixista do Pato Fu. É o que promete o Rock Reveillon da Küd, a cervejaria artesanal mais rock n’ roll de BH. E, como rock combina com tudo, a Küd preparou um open bar com mais de dez bebidas diferentes e um open food com mais de 4 mil peças da melhor culinária mineira e japonesa. Tudo de bom pra todo roqueiro curtir a virada!

Para quem quer fugir das festas tradicionais, a virada da Kud é uma grande opção. O rock do Seu Madruga vai apresentar clássicos do AC/DC sem descartar nenhum dos maiores sucessos da banda australiana. Rock n’ roll em alta voltagem, adrenalina do começo ao fim.

O DJ Ricardo Koctus, baixista do Pato Fu, promete muita música boa: clássicos do rock, jazz, Doo wop, rockabilly, e muito mais. “Como DJ e músico, uso a mesma filosofia, procuro levar a história da música e influenciar o público. Como DJ, prefiro evitar a facilidade de só tocar grandes sucessos e tento influenciar mais do que ser influenciado. No Reveillon da Küd, o mais legal é a boa cerveja. Teremos a mistura perfeita, boa comida, boa cerveja e música boa. Espero uma festa de arromba”.

"Ficamos muito felizes com o convite para tocarmos no Reveillon da Küd. A proposta tem tudo a ver com a banda, com AC/DC e com rock n’ roll em geral. Apreciar uma boa cerveja curtindo muito rock n roll é uma combinação perfeita”, afirma Alexandre da Mata, um dos integrantes da Banda Seu Madruga.

Para o médico André Souza, amante do rock e de uma boa cerveja, e que já garantiu seu ingresso para a virada da Küd, o mérito da cervejaria está em oferecer algo novo, inusitado. “As cervejas artesanais se direcionam a um publico diferenciado, mais critico, mais seletivo e mais ousado. O rock é um estilo que você não recebe passivamente. Rock é um estilo relacionado à atitude e contestação. Exatamente como as cervejas da Küd que são para um público que rejeita os clichês de normalidade em termos de cerveja”, afirma.

Cerveja com trilha sonora
A Cervejaria Artesanal Küd, fundada em 2008, tem uma receita toda especial para criação dos sabores dos chopes: para cada sabor, uma trilha sonora. “O rock e a cerveja se completam. Resolvemos então prestar uma homenagem à nossa maneira e fazemos nossas receitas inspiradas em grandes clássicos do rock. Mas a escolha não é aleatória, toda receita tem uma carga de história que serve de pano de fundo para uma degustação cheia de cultura”, ensina o analista de sistemas e mestre cervejeiro da Küd, Alencar Barbosa.

Já no primeiro ano de existência, em 2008, a Küd teve uma de suas criações premiadas no 1º. Concurso Sul-americano de Cervejas Caseiras, realizado em Santa Fé, na Argentina. O sensacional sabor Kashmir conquistou o primeiro lugar na categoria 14 A English IPA (Indian Pale Ale).

Kashmir é uma das músicas mais marcantes da banda Led Zeppelin. A homenagem a canções dos “Leds” foi estendida ao sabor Tangerine da Küd, levemente cítrico em estilo Witbier, uma criação própria dos cinco amantes da cerveja e do rock n’roll que também será servido no open bar do Rock Reveillon.

Blackbird, estilo Black IPA, reverencia os Beatles. A criação da Küd leva quatro tipos diferentes de malte e quatro estágios de lupulagem, alusão à imagem do quarteto de Liverpool.

Para completar, um verdadeiro culto ao Deep Purple: o irresistível sabor Smoke on the Water, em estilo Smoked Ale, que utiliza como ingrediente o malte defumado.

Decoração
Inspirada na cerveja e no rock, a sede da Cervejaria Artesanal Küd celebra esta aliança em todos os cantos. No alto da torre, logo na entrada, o nome Küd está gravado dentro de uma enorme guitarra em chamas; enquanto a fachada e os móveis lembram estilo e arquitetura da Alemanha Medieval. O formato da guitarra também está nas maçanetas dos banheiros.

Numa das paredes, páginas do livro da história do rock n’ roll estão afixadas como se fossem azulejos decorativos e trechos de letras de músicas de rock estão gravadas em portas de vidro. Há toda uma atmosfera histórica e musical. E é neste ambiente que acontecerá a primeira edição do Rock Reveillon da Küd.

Ingressos
Os ingressos estão a venda por R$ 250,00 (masculino) e R$ 230,00 (feminino). Para adquirir, entre em contato com a organização da festa pelos telefones 8880-0077; 9234-1896; e, 9934-3469. Acesse o site da Küd – http://www.kudbier.com.br./

O Rock Reveillon da Küd, que começa às 22 horas do dia 31 de dezembro de 2011 e só termina depois que o sol raiar em 2012, garante ainda conforto e segurança dentro de suas instalações. A Cervejaria Artesanal Küd fica à rua Kenton, 36, Praça Quatro Elementos, Jardim Canadá.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Retiro de fim de ano


Informações:
Telefone:  3371 9802

Desiderata




Siga tranqüilamente o seu caminho, entre a inquietude e a pressa, lembrando-se de que há sempre paz no silêncio.

Tanto quanto possível, sem se humilhar, mantenha-se em bons termos com todas as pessoas.

Fale a sua verdade, mansa e claramente, e ouça a dos outros, mesmo a dos insensatos e a dos ignorantes, pois eles também tem a sua própria história.

Se você se comparar com os outros, acabará se tornando presunçoso ou magoado, pois sempre encontrará alguém superior ou alguém inferior a você.

Desfrute as suas realizações bem como os seus planos.

Mantenha-se interessado em sua carreira – mesmo que humilde – pois ela é um ganho real, na sorte mutante do tempo.

Tenha cautela nos negócios, porque o mundo todo está cheio de astúcia, mas não se torne cético, porque a virtude existirá sempre. Muita gente luta por altos ideais e, por toda a parte, a vida está cheia de heroísmo.

Seja você mesmo! Principalmente não simule afeição nem seja descrente do Amor, porque, mesmo diante de tanta aridez e desencanto, ele é tão eterno quanto a relva.

Alimente a força do espírito que o protegerá no infortúnio inesperado, mas não se desespere com perigos imaginários. Muitos temores nascem de grandes ilusões, e a despeito de uma disciplina rigorosa, seja gentil para consigo mesmo.

VOCÊ É UMA CRIATURA DO UNIVERSO, NÃO MENOS QUE AS ÁRVORES E AS ESTRELAS. Você tem o direito de estar aqui onde se encontra, e quer você se aperceba disso ou não, o universo continua se revelando, inexoravelmente, como deve.

Portanto, esteja em paz com Deus, como quer que você O conceba, e quaisquer que sejam seus trabalhos e aspirações, na tremenda confusão da vida, mantenha-se em Paz com sua própria consciência.

Apesar de todas as falsidades, de todas as fadigas e desencantos, o mundo ainda é maravilhoso.

SEJA PRUDENTE... SEU DESTINO É SER FELIZ !!!

Max Ehrmann, poeta



quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Mostra de Cinema discute ditadura militar no Brasil



O Sindicato dos Professores da Rede Privada de Minas Gerais (Sinpro Minas) em parceria com Instituto Imersão Latina (Imel) promove até esta quinta-feira, dia 15 de dezembro, a Mostra de Cinema Ditadura Militar, com o objetivo de discutir e refletir sobre as conseqüências do regime ditatorial no Brasil e nos países da América Latina. Nos dias 6 e 13 de dezembro foram apresentados filmes sobre as ditaduras na Argentina e no Chile. A entrada é franca.

Encerrando a mostra, será exibido nesta quinta-feira, dia 15, o longa brasileiro “Cabra-cega”, que retrata os conflitos da luta armada e da ditadura militar no Brasil. O filme, lançado em 2005, recebeu cinco Candangos de Ouro nas categorias de Melhor Filme - Júri Popular, Melhor Diretor, Melhor Ator (Leonardo Medeiros), Melhor Roteiro e Melhor Direção de Arte, além do Prêmio Especial pela Pesquisa Histórica, no Festival de Brasília.

Depois do filme haverá debate com a jornalista Clevane Pessoa, conselheira do Imersão Latina, que trabalhou na imprensa mineira na época da ditadura e foi alvo de censura. Marco Aurélio, Militante de esquerda na época da ditadura, e Dalva Silveira, mestre em Ciências Sociais, funcionária do CEFET e professora da rede particular de ensino, autora do livro "Geraldo Vandré: a vida não é um festival".

Programação Cineclube do Sinpro Minas

Cineclube Uma tela no meu bairro
Rua Jaime Gomes, 198 - Floresta - BH/MG



15/12 • quinta-feira • 19h • Cabra-cega
Toni Venturi/Brasil/ 2005/107 min
Thiago e Rosa são dois jovens militantes da luta armada, que sonham com uma revolução social no Brasil. Após ser ferido por um tiro, em uma emboscada feita pela polícia, Thiago precisa se esconder na casa de Pedro, um arquiteto simpatizante da causa. Thiago é o comandante de um "grupo de ação" de uma organização de esquerda, que está no momento debilitada e estuda um retorno à luta política. Rosa é o contato de Thiago com o mundo, sendo agora ainda mais importante por estar ferido. Com o passar do tempo Pedro passa a ficar preocupado com a segurança deles, adotando um comportamento estranho e colocando dúvidas em Thiago se ele não seria um traidor. O pano de fundo é um Brasil amordaçado e sem liberdades democráticas.


Informações: 3115-3000 • www.sinprominas.org.br • cineclubejpa@gmail.com

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Reveillon, cerveja e muito rock n´ roll



A Cervejaria Artesanal Küd abre suas portas para brindar a chegada de 2012 com a primeira edição do Rock Reveillon da Küd. Para a virada do ano, a Küd preparou um open bar com mais de dez bebidas, entre elas, quatro dos fantásticos chopes artesanais, inclusive o premiado Kashmir. Tudo ao som eletrizante do AC/DC, da cover Seu Madruga, e a genialidade sonora do DJ Koctus, baixista do Pato Fu.

A aliança entre cerveja artesanal e o rock n`roll é a marca registrada da Küd. Amantes da boa cerveja, os cinco sócios da cervejaria também são apaixonados pelo rock n`roll. Não é à toa que a Küd é a cervejaria artesanal mais rock n` roll de BH.

A prova está nas surpreendentes criações da Küd, como o premiado sabor Kashmir, vencedor do Primeiro Campeonato Sulamericano de Cervejas Caseiras, realizado em Santa Fé, na Argentina, em 2008. Kashmir, a IPA da Küd, assim como outras criações que serão oferecidos no open bar do Rock Reveillon, revela um casamento fiel entre a cerveja e o Rock.

Kashmir é uma das músicas mais marcantes da banda Led Zeppelin. A homenagem a canções dos Leds foi estendida ao sabor Tangerine da Küd, levemente cítrico em estilo Witbier, uma criação própria dos cinco amantes da cerveja e do rock n`roll que também será servido no open bar do Rock Reveillon.

Blackbird, estilo Black IPA, reverencia os Beatles. A criação da Küd leva quatro tipos diferentes de malte e quatro estágios de lupulagem, alusão à imagem do quarteto de Liverpool.

Para completar, um verdadeiro culto ao Deep Purple: o irresistível sabor Smoke on the Water, em estilo Smoked Ale, que utiliza como ingrediente o malte defumado.

"O rock e a cerveja se completam. Resolvemos então prestar uma homenagem à nossa maneira e fazemos nossas receitas inspiradas em grandes clássicos do rock. Mas a escolha não é aleatória, toda receita tem uma carga de história que serve de pano de fundo para uma degustação cheia de cultura", ensina o analista de sistemas e mestre cervejeiro da Küd, Alencar Barbosa.

O open food do Rock Reveillon da Küd oferece mais de 4 mil peças da melhor culinária mineira e japonesa. Tudo de bom pra todo roqueiro curtir a virada! No cardápio mineiro, nada melhor do que a gostosa comida de boteco, com torresminho, linguicinha, mandioquinha, caldos de feijão e de mandioca, moelinha e pãozinho fatiado, frango a passarinho, fritas e outras variedades de petiscos.

Ou, se preferir, os cervejeiros-roqueiros podem degustar um caprichado cardápio japonês: tipos diversos de sushi, sashimi, nigiri, hot filadelfia, california, sunomono com kani, camarão e peixes como salmão e outros, todos fresquinhos e preparados na hora.

Os valores dos ingressos são R$ 250,00 (masculino) e R$ 230,00 (feminino). Para adquirir, entre em contato com a organização da festa pelos telefones 8880-0077; 9234-1896; e, 9934-3469. Acesse o site da Küd - http://www.kudbier.com.br/

O Rock Reveillon da Küd, que começa às 22 horas do dia 31 de dezembro de 2011 e só termina depois que o sol raiar em 2012, garante ainda conforto e segurança dentro de suas instalações. A Cervejaria Artesanal Küd fica à rua Kenton, 36, bairro Jardim Canadá, em frente à Praça Quatro Elementos.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Tenho um nariz redondo pequenino

 


Tenho olhos puxados de chinês, japonês ou
De índio brasileiro do Norte de Minas
Uma boca grande e vermelha rosada
Uma pele de pêssego, um cabelo enrolado
Tenho tudo pra ser exótica e sou
Adoro os meus dedos do pé
Acho minhas pernas lindas
Adoro o meu sorriso e dos outros também
Minha cabeça cheia de borboletas ...
Quando nasci fui mordida por uma lagartixa
Em plena transformação...
Eu gosto de fantasia, de livro, música, poesia
De tudo que posso sonhar e voar por alguns
segundos ... ficar solta, sem rumo
Depois eu volto e sai tudo como deveria
Sou Caxias e mando bem
Adoro dias quentes de verão
De sentar na praia e ver o mar
onda aqui ... onda lá ...
Acho que já fui peixe em alguma
encarnação, de água quentinha ...
Gosto do sopro do vento, de coisas simples
de caminhar, olhar as pessoas ao redor
Gosto do desconhecido, de não ser conhecida
gosto de ver sem pressa, namorar paisagens
Tenho loucura pela natureza, preciso dela
para ficar bem, reenergizar minha alma
Gosto de ficar quieta e respirar novos ares
Sou inquieta, gosto de novidades
de coisas diferentes, de ousar
Sou bicho do mato e da cidade
Às vezes me mostro, outras escondo
Gosto de ficar na minha e de badalar
Tudo tem sua hora, tem o seu clima...
O que me encanta mesmo é a diversidade
humana, nossas infinitas possibilidades...

Empório Trecos e Afetos


Um lugar cheio de coisas legais para sua casa e para você! Para quem gosta de decoração, artesanato, roupas e acessórios criativos este é o lugar. O Empório Trecos e Afetos fica no centro de Belo Horizonte, no Edifício Malleta, Hall Vinicius de Moraes. Uma delícia de lugar para você ir sem pressa, dar aquela garimpada, tomar um chá e bater um papo. Cada coisa mais linda que a outra! Eu me encantei com os vestidos super modernos produzidos pela artista plástica Chirley Maria. A marca Que Coso! é pura criatividade! Uma invencionice muita bacana, original mesmo. Vale a pena conferir !

Endereço: Avenida Augusto de Lima, 233, Loja 64, Hall Vinicius de Morais, Mallleta - Belo Horizonte.

Facebook: http://facebook.com/trecoseafetos


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Mostra de Cinema discute Ditadura Militar na América Latina


Filmes e debates pretendem ampliar visão deste período nebuloso da História

O Sindicato dos Professores da Rede Privada de Minas Gerais (Sinpro Minas) em parceria com Instituto Imersão Latina (Imel) promove, de 6 a 15 de dezembro, a Mostra de Cinema Ditadura Militar, com o objetivo de discutir e refletir sobre as conseqüências do regime ditatorial no Brasil e nos países da América Latina.

As ditaduras latinas deixaram marcas visíveis na sociedade e na economia de cada país que enfrentou o desafio de lutar pela democracia. As pessoas que se envolveram diretamente na luta armada ainda carregam cicatrizes. A busca pela verdade sobre o nosso passado é uma forma de evitar que, no futuro, não sejam cometidos os mesmos erros.

No Brasil, o Ministério Público Federal está engajado na luta pelo cumprimento da decisão da Corte Interamericana de Direitos Humanos, que exige que o país localize os corpos dos desaparecidos na Guerrilha do Araguaia e faça uma reparação às famílias das vítimas. A corte também quer que o Estado brasileiro adote medidas judiciais efetivas para a responsabilização individual pelos crimes cometidos.

Para a diretora de Cultura do Sinpro Minas, a realização do debate é de suma importância para elucidar e contextualizar os acontecimentos do passado e as características da ditadura no Brasil e na América Latina. “Através do cinema podemos lembrar as crueldades cometidas durante o regime militar e discutir este momento histórico com os jovens de hoje. Durante o debate, todas as lutas e ações atuais junto aos órgãos públicos serão evidenciadas pelos nossos debatedores. É o momento de busca da verdade para que sejamos melhores hoje. As nossas duas salas de exibição priorizam a discussão, a formação e o gosto pelo audiovisual”, explica.

A presidente do Imel, Brenda Marques Pena, ressalta a importância de se retratar as ditaduras da América Latina em um período em que vários arquivos secretos de orgãos de repressão militar tem sido revelados. "Foi um período em que vários jornais fecharam e que leis repressivas foram criadas. No Chile, por exemplo, muitas destas leis ainda vigoram, como ocorre em relação à educação. Os estudantes chilenos estão nas ruas lutando para derrubar uma legislação que é da época do Pinochet. E há ainda muitos presos políticos até hoje. Aqui, ainda temos muitos resquícios do período. Que a sétima arte nos ajude a refletir e nos posicionarmos diante de realidades que, muitas vezes, fingimos não ver".

Programação dos Cineclubes do Sinpro Minas

Cineclube Joaquim Pedro de Andrade
Rua Tupinambás, 179 - 14º andar - Centro - BH/MG

06/ 12 • terça-feira • 19h • A História Oficial (La historia oficial)
Luis Puenzo/Argentina/ 1985/114 min - Classificação indicativa: 12 anos
Ditadura militar argentina, professora tem uma vida pacata até desconfiar que sua filha adotiva pode ser a filha sequestrada de ativistas mortos pela repressão. Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Palma de Ouro de melhor atriz.

Debatedora: Gilse Cosenza • Membro da Comissão de Anistiados e dirigente do PCdoB /MG.

13/ 12 • terça-feira • 19h • Missing - O Desaparecido
Costa-Gravas/EUA/1982/122 min
Os pais de um jovem norte-americano, que vivia no Chile de Salvador Allende, deslocam- se para esse país à procura de seu filho, militante da esquerda, que desapareceu entre centenas de outras pessoas na época do golpe militar que colocou o general Pinochet no poder. O mais interessante é notar que não se trata de uma ficção.

Debatedora: Celina Padilha Arêas • Professora - Diretora do Sinpro Minas e da CTB.

Cineclube Uma tela no meu bairro
Rua Jaime Gomes, 198 - Floresta - BH/MG

15/12 • quinta-feira • 19h • Cabra-cega
Toni Venturi/Brasil/ 2005/107 min
A trama principal trata da relação limite de Tiago e Rosa, dois jovens militantes da luta armada, que vivem o sonho do projeto revolucionário. Alojados num bairro tradicional de São Paulo, no belo apartamento do arquiteto Pedro. O pano de fundo é um Brasil amordaçado e sem liberdades democráticas.

Debatedores: Clevane Pessoa – Jornalista e Conselheira do Imersão Latina trabalhou como jornalista na época da ditadura e foi alvo de censura.
Marco Aurélio - Militante de esquerda na época da ditadura
Dalva Silveira - Mestre em Ciências Sociais, funcionária do CEFET e professora da rede particular de ensino, autora do livro "Geraldo Vandré: a vida não é um festival".

Informações: 3115-3000 • www.sinprominas.org.br • cineclubejpa@gmail.com
Entrada Franca

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Instituto Imersão Latina comemora aniversário com show tropicalista na Virada Cultural do Mercado das Borboletas


Show Nova Tropicália reúne banda Cáustica, 12DUOITO e Cristiano Lima

Belo Horizonte está cheia de novos artistas. Tanta diversidade cultural que só uma festa com 32 horas de duração. Essa é a proposta da Virada Cultural do Mercado das Borboletas, evento que começa às 15 horas do sábado, dia 03 de dezembro e vai até às 22 horas deste domingo, dia 04 de dezembro.

O Instituto Imersão Latina (Imel) comemora seis anos de ativismo cultural com um espaço especial na Virada. O show “Nova Tropicália” com as Bandas Cáustica e 12DUOITO será no sábado, dia 03 de dezembro, às 19 horas. Cristiano Lima se apresenta no domingo, dia 04 de dezembro, às 18 horas.

O Show “Nova Tropicália” faz parte das atividades do projeto “Integrando Artistas e Diversidades”, promovido pelo Imersão latina, que elegeu o tropicalismo como tema das suas comemorações de aniversário. Na Virada, além do Show, haverá performance poética, do grupo “Nós da poesia”. O Imel também realiza nesta sexta-feira, dia 02 de dezembro, a partir das 20 h, o lançamento do livro “Tropicália – Um Caldeirão Cultural”, no Godofredo Bar, em Santa Tereza.

De acordo com a presidente do Imel, Brenda Marques, o resgate do tropicalismo é muito importante para a cultura brasileira e tem sido feito pelos próprios artistas da atualidade. “Este foi um movimento ímpar na valorização das mesclas culturais dos povos e expressa toda uma diversidade cultural a partir disso. O Instituto Imersão Latina em seus seis anos de atuação busca sempre realizar eventos de integração entre as artes e os artistas e trabalha na articulação destes por acreditar na coletividade e nas parcerias. Mostrar a importância dos movimentos culturais é um dos nossos objetivos, pois eles sempre envolvem um grupo de pessoas por um ideal comum”, afirma.

Instituto Imersão latina

O Instituto Imersão Latina (Imel) é formado por ativistas que se preocupam em pesquisar e difundir toda a diversidade cultural, ambiental e de ideias, por meio da realização de eventos de artes-integradas e da cultura digital livre. Seus integrantes acreditam numa proposta de multiculturalismo brasileiro que promova a cultura e a arte do país, incluindo a diversidade dos seus artistas e suas relações com a cultura brasileira, latina e do mundo.

O dia 30 de outubro foi oficializado como data de fundação do Instituto, com sede em Belo Horizonte, Minas Gerais. O Instituto mantém espaços permanentes de comunicação multimídia: o blog www.imersaoaltina.com, é atualizado diariamente com informações enviadas por colaboradores.



Banda Cáustica - http://www.caustica.com.br/

A Banda Cáustica é um trio feminino que aposta no lugar fronteiriço entre o Rock e outras vertentes musicais. O EP surgiu da pesquisa sonora e poética que procura trazer à tona angústias e experiências do universo feminino com a sutileza e agressividade típicas das mulheres Cáusticas. Sem medo das contradições, as Cáusticas corroem o jazz, o pop e o rock em busca de uma sonoridade única e de uma dissolução capaz de contagiar e estarrecer o público ao mesmo tempo.



Banda 12DUOITO - http://12duoito.tnb.art.br/

Músicos reunidos na exploração das antigas raízes rítmicas, transformando-as em algo novo e ousado. A arte da banda consiste na interação de indivíduos vinculados ao samba, ciranda, maracatu, rock setentista, soul e dub, contextualizando essas referências em sua própria linguagem, estimulando as pessoas através da mente (em forma de poesias questionadoras e conclusivas) e do corpo (pela pegada dos grooves dos rifs e tambores).


Cristiano Lima - http://www.myspace.com/cristianolimapop

Interprete diferenciado, com influências de grandes nomes da música, como: Dorival Caymmi, Caetano Veloso, dentre outros. Cristiano une de forma competente a tradição com a contemporaneidade. Ouve, pesquisa e busca na música a essência da intenção do compositor, para que, com sua voz clara, segura e espontânea, possa reescrever a canção.

Serviço:
Show “Nova Tropicália” – Virada Cultural do Mercado das Borboletas
Bandas Cáustica e 12DUOITO - sábado, dia 03 de dezembro, às 19 horas.
Cristiano Lima - domingo, dia 04 de dezembro, às 18 horas.
Endereço: Av. Olegário Maciel, 742 - Centro - Belo Horizonte - MG – 3º. piso do Mercado Novo

Lançamento do livro “Tropicália - Um Caldeirão Cultural”, de Getúlio Mac Cord.
Data: 02 de dezembro, sexta-feira
Local: Godofredo Bar – Rua Paraisopolis, 738 – Santa Tereza
Horário: a partir das 20h
http://www.imersaolatina.blogspot.com/