Translate

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Sampa world

                                                                    Catedral da Sé, São Paulo

São Paulo é um mundo. Esta é a primeira impressão. É tudo muito grande, tridimensional. As ruas são muito largas, muita gente no metrô, andando nas ruas, em qualquer lugar. E gente de todo lugar, de todos países, de todas as cores e raças. Gente que faz você aprender alguma coisa, que te ajuda, que te orienta, que se emociona, gente igual a gente. No primeiro dia aqui, conheci a Alderiva, uma missionária nordestina que já viajou o mundo. Ela me apresentou São Paulo, o metrô, a Sé, a Prefeitura, o Teatro Municipal, todo o centro na região da Praça da República e foi comigo até o MASP, na Av. Paulista, só para me mostrar onde era. Ela foi minha guia.Também acompanhei-a em suas andanças pelo centro e vi como realiza de forma digna sua missão. Alderiva não fala em religião, mas fala de Deus com uma sabedoria além da bíblia. Ela tem Ele consigo, é sua prática diária, ela é um exemplo do que fala, sabe doar-se sem pedir nada em troca, ela faz tudo por amor. Alderiva, foi minha fada madrinha em Sampa. Perdi qualquer medo com ela. Conquistei a cidade e ela me conquistou!



2 comentários:

Zaide Ribeiro disse...

São Paulo despertou em mim também emoções fortes. Acho que a primeira foi um certo pavor com toda aquela imensidão de cidade (é compreensível considerando o lugar de onde vim)... em seguida as portas paulistanas começaram a se abrir para mim.. então eu conheci todo o fascínio dessa cidade que assusta, encanta, enfeitiça...
São Paulo reúne as várias caras do Brasil. Todos as cores e sotaques que construíram essa cidade irresistível!! Aproveita aí amiga. Se jogue nos braços de Sampa...

Adriana Borges disse...

Me joguei mesmo e foi muito legal !!!