Translate

quarta-feira, 19 de maio de 2010

O amor que transforma


Alô, Alô Marciano! A vida está cada vez mais louca aqui na Terra. Você olha para um lado e vê dezenas de pessoas apressadas andando pra lá e pra cá. Gente correndo atrás de dinheiro, de trabalho e de sucesso. Mas falta nelas muita coisa para ser feliz de verdade. Falta respeitar o que é sagrado e essencial. Falta ter compromisso com a vida, falta amor. Amor que não acaba depois de um certo tempo. Amor que não é somente carne. Falta saber e sentir o que é este amor que existe e que é incondicional. Quando eu digo que falta amor no mundo, não incluo todas as pessoas no mesmo balaio. Há milhares de pessoas que amam e querem amar. Mas, a maioria, talvez, não esteja pronta para vivenciar essa experiência. Amar de verdade exige entrega.

Quando eu vejo as pessoas chorarem por um amor que acabou, eu sinto pena. Não é uma pena de dó, mas uma pena que não era amor. Porque o amor de verdade dura muito tempo, ele se transforma e fica melhor, mais profundo. Porque o amor que todos querem é para sempre. Ninguém quer amar até amanhã. E todos acreditam na eternidade do sentimento. Quando me apaixono sempre acho que é for ever. E aí passou, foi passageiro, mas a experiência sempre vale a pena. Quem sabe para aprender alguma coisa pra um dia amar de verdade. O amor é um encontro que a gente quer que aconteça na próxima viagem. Não importa se a gente vai sofrer ou chorar, todo mundo quer correr este risco. Mas, muitas vezes, os custos dessa jornada são jogados pela janela em pleno vôo. A gente só quer curtir o que é bom. O que há de errado nisso? A gente encurta o crescimento pessoal.

Muita gente vive na superfície, naquele terreno mais seco cimentado ou num gramado podadinho. Mas não sabe e nunca experimentou o gosto, a textura, a maciez e o aconchego da terra. Muita gente vive de futilidades e alimenta um jeito torto de levar a vida. Vira uma pessoa presa às aparências, às opiniões dos outros e aos ditames da sociedade. Gente assim não tem liberdade de viver, não constrói sua própria história e não ultrapassa os valores de perfumaria, vira massa de consumo. E o brasileiro está viciado em estética. Caminhando pela rua ontem à tarde, eu parei numa banca de jornal e contei quantas revistas exibiam o corpo de mulheres de biquíni na capa, eram mais de dez! Quase todas falando de exercícios e dietas, plástica, corpo sarado e etc. Adoro gente bonita. Adoro homem sarado. Mas fundamental é ter conteúdo. Ter experiências profundas. Ter consciência dos seus atos, saber sentir, esperar e ultrapassar as durezas do solo. Porque lá no fundo, lá em baixo, tem uma alma pura e limpa, cristalina como a água e pronta para amar.


Um comentário:

brunohaddad disse...

Olá Drica tudo bem?
Bom sou adorador do blogspot, tenho um trabalho legal tbm que fala sobre cultura, arte, música popular brasileira um pouco de moda e bons textos. Tudo isso é representado pelas minhas fotografias. Sou fotografo, músico e publicitario e dedico meu pouco tempo no meu blog e site. www.artemusicasoul.blogspot.com - www.brunohaddad.tumblr.com
Ah! vou te add nos meu favoritos gostei bastante do seu blog. Parabens. Não deixe de acessar tem coisa boa por ai....

Parabens!

Bruno Haddad