Translate

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Como se despedir de uma cidade encantada




Andar pelas ruas despreocupadamente sentindo o vento frio gelado no rosto. Leva um tempo até você se acostumar a viver num freezer, com um vento forte de fazer voar e uma chuva fina que não cessa por dias. Fazer passeios pelo interior explorando montanhas, parques arqueológicos e paisagens lindas com um verde mais verde do mundo. Fazer amizades com as pessoas da forma mais simples do mundo puxando assunto na rua, perguntando onde é isso? o que é aquilo? de onde você é? Falar em inglês tudo errado até você aprender um pouquinho mais para soltar a língua e ficar feliz de pronunciar correto qualquer palavra ou verbo novo! Nossa! Que avanço! Rsrsrs. Conhecer gente de todo mundo, de todas as culturas mais diferentes, tudo novo, tudo desafio, tudo apaixonante e tudo lindo!

Explorar cada cantinho dessa cidade encantadora que me conquistou logo na chegada com a gentileza dos irishs! Eles carregam suas megas malas super pesadas sem nem te conhecer! Você se apaixona pelos irlandeses de cara, mas eu amei mesmo foi um espanhol bem divertido e inesperado. A corrida por emprego, andar o dia inteiro entregando currículo para arrumar um tipo de emprego que você não tem nenhuma experiência real na vida. O trabalho de au pair, as crianças que eu amei tanto e odiei por segundos pela tamanha teimosia! O Temple Bar, com seus pubs alegres e festivos, rock do bom e do melhor, entrada free, cerveja encorpada, a Guinness, os amigos da escola e da vida em Dublin. Poder viajar pela Europa pagando passagens de avião por módicos 20 euros não tem preço! I love Ryanair! Conhecer os lugares que eu mais sonhei em visitar. Se encantar com tudo! Encarar tudo isso sozinha e feliz. Isso me deu uma sensação de liberdade e de poder indescritíveis! Eu posso tudo! E a gente pode mesmo realizar qualquer sonho se tiver determinação e força de vontade! Encarar os desafios de frente, com coragem e fé! Não tem nada melhor para mim.E tudo isso foi maravilhoso! Uma das melhores experiências da minha vida que ficará marcada para sempre.

Então, como se despedir de uma cidade que te laçou em todos os sentidos e que você ama viver! Não é fácil decidir voltar, mas é bom estar em casa. A gente fica dividido para sempre. O que eu aprendi e vivi valeu por uns 20 anos e eu fiquei por lá apenas dois anos. Foram anos intensos de felicidade, de entrega, de surpresa, de desafios, dificuldades, algumas tristezas, mas nada que tenha me abalado negativamente. Tudo foi muito positivo, muito enriquecedor! Bem, aí quando eu decidi voltar eu comecei a chorar loucamente andando pelas ruas do Temple Bar na festa do Halloween, com toda aquela alegria desvairada dos irlandeses e estrangeiros de todo mundo. Eu comecei a fotografar cada lugar que eu amava, que era caro para mim em Dublin. E eu precisava de me despedir dela assim! Para ficar para sempre na minha memória toda a magia dessa pequena grande cidade e das pessoas que estiveram comigo. Eu amo Dublin! Não é apenas uma paixão passageira, é amor de verdade! Mas o Brasil, claro, é meu amor maior! E estar aqui também me faz muito Feliz! Dois amores, mais que declarados, para o resto da vida!

No próximo post, as fotos, que são milhares, da minha querida Dublin!


Nenhum comentário: